O assédio em nome do bem: Dos sofrimentos conectados à dor moral coletiva de vítimas de desastres

Norma Valencio, Arthur Valencio

Resumo


Os estudos sociais, no tema de desastres, têm recorrentemente  demonstrado que há formas impróprias, de certos atores, em lidar com as vítimas. A partir de um panorama sobre a diversidade de atores, que podem estar implicados emum desastre, este estudo sociológico focaliza dois aspectos principais deste problema: a diversidade de características de sofrimentos das vítimas; e as interações sociais, que resultam em assédio das mesmas. As interações foram analisadasa partir de três grupos de atores: técnicos em emergência, organizações humanitária e similares e, por fim, meios de comunicação de massa. Com base em revisão de literatura sobre ocorrência de desastres, em uma abordagem social, são delineados frameworks, que permitem visualizar o conjunto de conexões. Tais conexões podem auxiliar na compreensão, tanto das relações sociais complexas entre diferentes formas de sofrimento, quanto no que se refere à identificação de circunstâncias de assédio, às vítimas de desastres.

Palavras-chave


mídia de massa; sofrimento social; dor moral; desastres; crises.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, Márcia Franz; POZOBON, Rejane de Oliveira; RUBIN, Anaqueli. Modos de endereçar a tragédia: indignação, testemunho e piedade. Lumina, v. 4, n.2, p. 1-15, 2010. Disponível em: https://lumina.ufjf.emnuvens.com.br/lumina/article/view/133. Acesso em: 29 jul. 2018.

ANTONIO, Layla Stassun. Desafios de (des)proteção de animais em contexto de desastres: o caso de Teresópolis/RJ, São Carlos. (dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências da Engenharia Ambiental, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2016.

BARRIOS, Marta Milena; CABRERA, Jesús Arroyave e VEGA-ESTARITA, Lina. El cambio de paradigma en la cobertura informativa de la gestión de riesgo de desastres. Chasqui: Revista Latinoamericana de Comunicación, n. 136, p. 129- 144, 2017. Disponível em: < http://chasqui.ciespal.org/index.php/chasqui/article/download/3318/2980>. Acesso em: 28 jul. 2018.

BARROS, Allyne Fernandes Oliveira e MARTINS-BORGES, Lucienne. Reconstrução em Movimento: Impactos do Terremoto de 2010 em Imigrantes Haitianos. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 38, n.1, p. 157-171, 2018. DOI: 10.1590/1982-3703003122016

BOIN, Arjen; EKENGREN, Magnus; RHINARD, Mark. The EU as crisis manager. Cambridge: Cambridge University Press, 2013.

BULLARD, Robert. Varridos pelo furacão Katrina: reconstruindo uma “nova” Nova Orleans usando o quadro teórico da justiça ambiental. In: HERCULANO, Selene.; PACHECO, Tânia (Org.). Racismo Ambiental. Rio de Janeiro: FASE, 2006, p. 126-147.

CASAGRANDE, David; MCILVAINE-NEWSAD, Heather e JONES, Eric. Social networks of help-seeking in different types of disaster responses to the 2008 Mississippi river floods, Human Organization, v. 74, n. 4, p. 351- 361, 2015. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2018.

DAS, Veena. Critical events: an antropological perspective on contemporary India. Nova Délhi: Oxford University Press, 1995.

FLANNERY, Raymond Jr; EVERLY, George Jr. Crisis intervention: a review. Intern. Journal of Emerg. Mental Health, v. 2, n.2, p. 119-125, 2000. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2018

FRANCO, Maria Helena Pereira. Crises e desastres: a resposta psicológica diante do luto. O Mundo da Saúde, v. 36 , n.1, p. 54-58, 2012. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2018

FREDDY, John e SIMPSON Jr, William. Disaster-Related Physical and Mental Health: A role for the family Physician. Am. Fam. Physician ,v. 75, n.6, p. 841- 846, 2007. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2018

FRITZ, Charles. Disasters. In: MERTON, R; NISBET, R. (Orgs). Social problems. New York: Harcourt Brace, 1961.

GALEA, Sandro; NANDI, Arijit; VLAHOV, David. The epidemiology of post-traumatic stress disorder after disasters. Epidemiologic Reviews, v.27, p. 78-91, 2005. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2018

GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4 ed. Rio de Janeiro: LTC Editora, 1988.

IBRAHIM, Samira Younes. Análise das memórias coletivas dos afetados no desastre socioambiental de janeiro de 2011 no Vale do Cuiabá, Petrópolis, RJ. (dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social, EICOS, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 2018.

LOSEKANN, Cristina. “Não foi acidente!” O lugar das emoções na mobilização dos afetados pela ruptura da barragem de rejeitos da mineradora Samarco no Brasil. In: ZHOURI, Andrea (Org.) Mineração, Violências e Resistências- - um campo aberto à produção de conhecimento no Brasil. Marabá, PA/ABA: Editorial iGuana, 2017, p. 65-110

MARCHEZINI, Victor. Campos de desabrigados - a continuidade do desastre. São Carlos: Rima, 2014

MARJANOVIC, Zdravko; STRUTHERS, Chris Ward; GREENGLASS, Esther. Who helps natural-disaster victims? Assessment of trait and situational predictor. Analyses of Social Issues and Public Policy, v. 12 ,n.1, p. 245-267, 2012. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2018

MARRES, Geertruid; LEENEN, Luke; DE VRIES, Jolanda, MULDER, Paul; VERMETTEN, Eric. Disaster-related injury and predictors of health complaints after exposure to a natural disaster: an online survey. BMJ Open v.1, 2011. DOI: 10.1136/ bmjopen-2011-000248

MATTEDI, Marcos. Dilemas e perspectivas da abordagem sociológica dos desastres naturais. Tempo Social, v. 29, n.3, p. 261-285, 2017. DOI: 10.11606/0103-2070.ts.2017.111685

MORGAN, Oliver. Management of dead bodies after disasters: a field manual for first responders. Washington, D.C: PAHO, 2006.

OLIVER-SMITH, Anthony. Disasters and Forced Migration in the 21st Century. In: OLIVER-SMITH, Anthony (Org.). Understanding Katrina Essay Forum: perspectives from the social sciences. Social Science Research Council, New York : 2006. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2006.

PELLING, Mark; DILL, Kathleen. Disaster politics: tipping points for change in the adaptation of sociopolitical regimes. Progress in Human Geography, v. 34, n.1, p. 21- 37, 2010. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2018

PHILLIPS, Brenda. The Media in Disaster Threat Situation: Some Possible Relationships between Mass Media Reporting and Voluntarism. International Journal of Mass Emergencies and Disasters, v.4, n.3, p. 7 - 26, 1986. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2018

QUARANTELLI, Enrico. A social science research agenda for the disasters of the 21st century: theoretical, methodological and empirical issues and their professional implementation. In: PERRY, Ronald; QUARANTELLI, Enrico (Orgs). What is a disaster? New answers to old questions. USA, International Research Committee on Disasters, 2005, p. 325-396.

ROCA, Andrea. Trajetórias, memórias e silêncios de um país telúrico: a propósito dos saques logo após o terremoto de 2010 na cidade de Concepción, Chile. In: VALENCIO, Norma; SIENA, Mariana (Orgs.). Sociologia dos Desastres: construção, interfaces e perspectivas. São Carlos: RiMA, 2014, v. 4, p. 47-69.

SCANLON, Joseph; ALLDRED, Suzanne. Media Coverage of Disasters: The Same Old Story. Ljubljana (Yugoslavia): Technica lReport Paper, 1982. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2018.

SCANLON, Joseph. Research about the mass media and disaster: never (well hardly ever) the twain shall meet. In: DETRANI, Jason (Org.), Journalism Theory and Practice. Binghamton: Apple Academic Press, 2011, p. 233-269.

SCHNEIDER, Saundra. Who’s to blame: (mis)perceptions of the intergovernmental response to disasters. The Journal of Federalism, v. 38, n.4, p.715-738. 2008. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2018

SENNETT, Richard.Respeito: a formação do caráter em um mundo desigual. Tradução de Ryta Vinagre. Rio de Janeiro: Record, 2004.

SIENA, Mariana. A atenção social nos desastres: quando o deslocamento compulsório acontece. In: Valencio, Norma e Siena, Mariana. (Orgs.). Sociologia dos Desastres: construção, interfaces e perspectivas. São Carlos: RiMa, 2014, v. 4, p. 151 -178.

SILVA, Telma Camargo. Tracing identities through interconnections: the biological body, intersubjective experiences and narratives of suffering. Vibrant, v. 12, p. 260- 289, 2015. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2018

SIQUEIRA, Antenora Maria da Mata; MALAGODI, Marco Antonio Sampaio. Desastres e remoções em Campos dos Goytacazes, RJ: o caso de Ururaí. In: LEITE, Adriana Filgueira; GOMES, Marcos Antonio Silvestre (Orgs.). Dinâmica ambiental e produção do espaço urbano e regional no Norte Fluminense. Campos dos Goytacazes/RJ: Essentia, 2013, p. 35 - 66.

TIERNEY, Kathleen; BEVC, Christine; KULIGOWSKI, Erica. Metaphors Matter: Disaster Myths, Media Frames, and Their Consequences in Hurricane Katrina. The ANNALS of the American Academy of Political and Social Science, v.604, n.1, p. 57 -81 ,2006. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2018

TORLAI, Viviane Cristina. A vivência do luto em situações de desastres naturais (Dissertação de Mestrado) Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo. 2010.

TURNER, Edith. Communitas – The Anthropology of Collective Joy. New York: Palgrave MacMillan, 2012.

VALENCIO, Norma. Para além do ‘dia do desastre’: o caso brasileiro. Curitiba: Ed. Appris, 2012.

______. A crise social denominada desastre: subsídios para uma rememoração coletiva acerca do foco principal do problema. In: VALENCIO, Norma (Org), Sociologia dos desastres: construção, interfaces e perspectivas no Brasil. São Carlos: RiMa Editora, 2013, v. 3, p. 3- 22.

______. Desastres: tecnicismo e sofrimento social. Ciência e Saúde Coletiva – v. 19, p. 3631- 3644, 2014. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2018

______.; VALENCIO, Arthur. Media coverage of the ‘UK flooding crisis’: a social panorama. Disasters, v. 42, n. 3, p. 407-431, 2018. DOI: 10.1111/disa.12255

VARGAS, Maria Auxiliadora Ramos. Da chuva atípica à falta de todo mundo: a luta pela classificação de um desastre no município de Teresópolis/RJ. (Tese de doutorado). Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2013.

VENTURATO-LANDMANN, Raquel Duarte. “A alagação ofende!” A invisibilidade de um desastre relacionado às cheias atípicas na RESEX Alto Juruá, Acre. (Tese de Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Ciências da Engenharia Ambiental, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2014.

WINCH, Rafael Rangel. As condições de produção do discurso da revista Superinteressante sobre a mudança climática (1995 – 2015). Chasqui: Revista Latinoamericana de Comunicación, n. 136, p. 113- 128, 2017. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2018

ZHOURI, Andrea; OLIVEIRA, Raquel; ZUCARELLI, Marcos; VASCONCELOS, Max. O desastre no rio Doce: Entre as políticas de reparação e a gestão das afetações. In: Zhouri, Andrea (Org.). Mineração, Violências e Resistências- um campo aberto à produção de conhecimento no Brasil. Marabá, PA/ABA: Editorial iGuana, 2017, p. 28 - 64.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Universidade Federal de Juiz de Fora

Programa de Pós-graduação em Comunicação
Lumina - Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora

E-mail: revista.lumina@ufjf.edu.br

Classificação Qualis-CAPES : B1

ISSN 1516-0785 | e-ISSN 1981-4070

Diretórios e Indexadores:

Siga a Lumina