A condição da vítima no documentário: reflexões sobre a memória e a performance da violência

Urbano Lemos Jr., Vicente Gosciola

Resumo


O artigo analisa a ideia de performance atravessada pela noção de representação da violência. O objetivo do artigo é elucidar o espaço do corpo no cinema documentário por meio do estudo da memória da violência performatizada presente nos filmes O Ato de Matar (2012), de Joshua Oppenheimer e S21 - A Máquina da Morte do Khmer Vermelho (2003), do cineasta cambojano Rithy Panh. Em ambos os documentários, a reencenação da tortura é evidenciada através da dimensão performática e por meio do emprego de dispositivos que confrontam os perpertradores da violência com as memórias dos crimes cometidos tanto na Indonésia quanto no Camboja. O artigo se ampara nas noções de performance, encontradas em Schechner (1985) e Taylor (2009) para compreender o “comportamento restaurado” em situações traumáticas. O estudo recorre ainda a Derrida (2001) para o entendimento de arquivos, registros e traumas em situações que culminaram em políticas de sofrimentos. Entende-se que os resultados obtidos nos documentários são confrontados a partir de performances distintas da violência e das relações entre memória e testemunho. Além disso, constata-se que por falta de imagens sobre as torturas as memórias são encenadas, reencenadas ou servem como arquivos vivos de episódios sangrentos nos dois países.

 


Palavras-chave


performance; documentário; violência; memória; testemunho

Texto completo:

PDF

Referências


BORGES, Cristian. Documentário: problemas de mise en scène e o horror da guerra. Devires, Belo Horizonte, v. 5, n. 2, jul/dez. 2008, pp. 156-171.

DANTAS, Henrique. A noite escura da Alma. In: Caderno de Cinema, abr. 2015. Disponível em: . Acesso: 10 maio 2018.

DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Rio de Janeiro, Relume Dumará, 2001.

LEANDRO, Anita. A história na primeira pessoa: em torno do método de Rithy Panh. Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Comunicação - E-Compós. Brasília, v. 19, n. 3, set/dez. 2016.

______. Montagem e história: Uma arqueologia das imagens da repressão. In: XXIV Encontro Nacional Compós, Brasília. Compos 2015, pp.1-17.

LIGIÉRO, Zeca (Org.). Performance e Antropologia de Richard Schechner. Rio de Janeiro: Mauad, 2012.

LINS, Consuelo. O filme-dispositivo no documentário brasileiro contemporâneo. In: Sobre Fazer Documentários. Vários autores. São Paulo: Itaú Cultural, 2007, pp. 44-51.

PANH, Rithy. A palavra filmada: para derrotar o terror. In: Catálogo da mostra O cinema de Rithy Panh. Centro Cultural Banco do Brasil, 2013a, pp. 75-109.

_______. Sou um agrimensor de memórias. In: Catálogo da mostra O cinema de Rithy Panh. Centro Cultural Banco do Brasil, 2013b, pp. 63-73.

RAMOS, Fernão Pessoa. O que é documentário?. Biblioteca On-Line de Ciências da Comunicação, Portugal, 2002.

RICOEUR, Paul. Memória, história, esquecimento. Palestra proferida na Conferência Internacional Haunting Memories? History in Europe after Authoritarianism; Budapeste, Hungria, 2003. Traduzido do inglês pela Universidade de Coimbra. Disponível em: , Acesso: 14 maio 2018.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Narrar o trauma – A questão dos testemunhos de catástrofes históricas. Revista Psicologia Clínica. Rio de Janeiro, v. 20, n.1, 2008, pp. 65-82.

SILVA, Mariana Duccini. Um espetáculo da insuportabilidade: a insuficiência do realismo em “O Ato de Matar”. Anais do XXXIX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação - Intercom. São Paulo: Intercom, 2016.

TAYLOR, Diana. O arquivo e o repertório: performance e memória cultural nas Américas, Editora UFMG: Belo Horizonte, 2013.

_______. O trauma como performance de longa duração. Tradução Giselle Ruiz. Revista O Percevejo, vol. 1, jan.-jun, 2009, pp. 1-12.

_______. Performance. Buenos Aires: Asunto Impresso, 2012.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Universidade Federal de Juiz de Fora

Programa de Pós-graduação em Comunicação
Lumina - Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora

E-mail: revista.lumina@ufjf.edu.br

Classificação Qualis-CAPES : B1

ISSN 1516-0785 | e-ISSN 1981-4070

Diretórios e Indexadores:

Siga a Lumina