A estética do banal no cinema brasileiro pós-retomada: uma pequena viagem à Avenida Brasília Formosa, de Gabriel Mascaro

Fernanda Salvo

Resumo


Estudo sobre o modo como o cinema brasileiro pós- retomada vem construindo, a partir de novas formas estéticas, os espaços periféricos da sociedade. Busca-se evidenciar como uma parcela da produção nacional recente tem articulado os espaços de exclusão sociais, valendo-se de uma linguagem que privilegia o banal e os pormenores do cotidiano. Toma-se como objeto o filme Avenida Brasília Formosa (Gabriel Mascaro, 2010) para mostrar como sua narrativa constrói, no espaço fílmico, a região pobre do Recife. Breve retrospecto de como a “fisionomia do outro” foi articulada pelo cinema nacional nas últimas décadas. O pressuposto é: flagrar a alteridade já faz parte da tradição do cinema nacional, tendo em vista sua trajetória – nos últimos 50 anos – de focalizar as diferenças e contradições sociais. 


Palavras-chave


cinema brasileiro; cotidiano; alteridade

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Universidade Federal de Juiz de Fora

Programa de Pós-graduação em Comunicação
Lumina - Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora

E-mail: revista.lumina@ufjf.edu.br

Classificação Qualis-CAPES : B1

ISSN 1516-0785 | e-ISSN 1981-4070

Diretórios e Indexadores:

Siga a Lumina